ATR

Confira o ATR de Outubro 2018.

Saiba Mais..

Açúcar

Saiba sobre a cotação semanal do Açúcar. Atualizado em 31/07/2018

Saiba Mais..

Etanol

Cotação semanal do Álcool Anidro Combustível e Hidratado. Atualizado em 27/07/2018.

Saiba Mais..

Açúcar e etanol impulsionam crescimento de 44,2% do PIB sucroenergético


Apesar da maior área plantada com cana-de-açúcar em 2013/14, na comparação com 2008/09, o gasto com insumos, como fertilizantes e defensivos, diminuiu no segmento


Um crescimento de 44,2% nas últimas cinco safras sucroenergéticas. Esse é o PIB do segmento divulgado e apresentado esta semana à frente parlamentar do setor sucroenergético pelo centro de pesquisa Markestrat. O levantamento foi encomendado pela Unica (representantes das usinas), Orplana (dos produtores/fornecedores de cana) e Ceise-BR (representante da indústria). De acordo com os pesquisadores, o Produto Interno Bruto (PIB) do segmento cresceu em cinco anos e atingiu na última safra (2013/14), US$ 43,3 bilhões, ante os US$ 30,1 bilhões calculados na primeira versão do estudo (2008/09). Neste cenário, o açúcar foi o item que mais contribuiu para esse resultado, ao gerar na última safra US$ 18,036 bilhões, sendo US$ 6,9 bilhões no mercado interno e US$ 11,109 bilhões no mercado externo. O etanol hidratado por exemplo, gerou US$ 13,451 bi, sendo 12,861 bi no mercado interno e US$ 590,65 milhões no mercado externo. O desempenho positivo é atribuído aos preços do etanol e do açúcar que aumentaram no período 37,5% e 35,9%, respectivamente, além do aumento de  volumes vendidos.



Em contrapartida, o Markestrat revela que os custos de produção agrícola aumentaram 33,5% no período, passando para US$ 34,3, e os industriais, um incremento de 28% na mesma comparação, para US$ 43,4 por tonelada. Esse quadro reflete a queda de 7,7% da produtividade agrícola nos últimos cinco ciclos e o recuo de 6,2% do rendimento industrial. Os pesquisadores também admitem que os investimentos com insumos foram menores no período, ou seja, uma movimentação 6,1% menor que nas últimas cinco safras.

Impostos e empregos

A arrecadação de impostos também cresceu pois o longo da cadeia em 2013/14, foram contabilizados, US$ 8,5 bilhões em impostos, ou 16,4% a mais do que em 2008/09 .

Segundo a análise, nas usinas açucareiras mais de 64 mil postos de trabalho foram perdidos, nas destilarias, foram 20 mil postos fechados. Na safra 2013/14, a soma de todos os salários pagos caiu 130% em relação a 2008/09, ou seja, passou para US$ 4,13 bilhões, contra os US$ 9,5 bilhões pagos em 2008/09. Em número de empregados representou em 2013, 1,3% dos empregos formais do Brasil, ou a 613,235 mil postos de trabalho. Considerando os empregos sazonais, o número de pessoas que passaram pelo setor na safra passada aumenta para 988,256 mil pessoas, conclui o estudo.

Produtividade

A pesquisa aponta que na safra 2013/2014 a produtividade média da cana foi de cerca de 75 toneladas/ha, com um rendimento de
134,4 Kg de ATR por tonelada de cana.  Em relação à safra anterior, a  produtividade em toneladas por hectare  teve um aumento de 8%, porém o  rendimento em ATR teve uma redução  de 2%.


Parcerias

Pernambuco Equipamentos de Proteção Individual Ltda