ATR

Confira o ATR de Abril 2018.

Saiba Mais..

Açúcar

Saiba sobre a cotação semanal do Açúcar. Atualizado em 31/07/2018

Saiba Mais..

Etanol

Cotação semanal do Álcool Anidro Combustível e Hidratado. Atualizado em 27/07/2018.

Saiba Mais..

“Não haveria como cultivar 9 milhões de hectares de cana no país sem a aplicação de herbicidas”

Aconteceu na última semana, nos dias 11 e 12 de maio, em Ribeirão Preto, o 15º. Herbishow – maior seminário sobre controle de plantas daninhas em cana-de-açúcar do país. Referência mundial nessa área, o seminário reuniu cerca de 650 profissionais de várias regiões canavieiras do Brasil, além de outros três países.

Segundo Dib Nunes, diretor do Grupo IDEA – empresa organizadora do evento -, a área de controle de plantas daninhas em cana evoluiu muito, principalmente nos últimos 15 anos. “Há muitos fatores interferentes. À medida que surgem novos produtos, há novas formas de aplicar, novas maneiras de se trabalhar. Trouxemos nesse evento não só novos produtos, como combinação desses novos produtos com produtos consagrados”, relata Dib.

Dentre os pontos altos do seminário deste ano, ele destaca a palestra do consultor Herbert Del Petri, que ministrou uma aula na área administrativa quanto à aplicação de herbicidas. “Como uma pessoa vai gerenciar 40, 70 mil hectares com cana? Temos um método que possibilita essa gestão.”

Outras duas apresentações se referiram a modelos de tecnologia de aplicação. Uma das palestras que abordou esse assunto foi de Marcelo Ferreira, da Unesp de Jaboticabal, que é uma das maiores autoridades em aplicação no país.

“Quem entendeu o recado que ele apresentou vai passar a tomar muito cuidado. Os produtos estão sendo aplicados de qualquer jeito. Custam uma fortuna e às vezes não funcionam porque não são aplicados corretamente. Somente 25% dos produtos atingem o alvo na maioria das aplicações que ele acompanha (500 mil hectares é a área que ele acompanhou no levantamento)”, sublinha Dib.

Essas e inúmeras outras informações foram difundidas por consultores, usinas e empresas de defensivos durante o 15º. Herbishow. Durante o evento desse ano, foram apresentadas pelo menos vinte moléculas de herbicidas com características de funcionamento e inter-relação com clima e solo diferentes.
Cada molécula dessas é fruto de muitas pesquisas e investimentos. Quando chega às mãos do produtor, já está caracterizada. Tem-se disponível a pressão de vapor, se a molécula se desfaz no solo com fotodegradação, se apresenta movimentação no solo etc. “Tem inúmeras características envolvidas e o Herbishow consegue trazer tudo isso para o mesmo local, com uma plateia diversificada que tem oportunidade de ter acesso a um conhecimento que não está disponível em livros.”

Com o conjunto de moléculas disponíveis hoje no mercado, usinas e produtores têm opções variadas de produtos para não errar. E essa é uma área muito importante para a agroindústria sucroenergética, pois é decisiva para o resultado da lavoura. “Afinal temos 9 milhões de hectares de cana no país. Não tem como manter limpo de mato sem o uso de herbicidas. Se dependermos de mão de obra ou de qualquer atividade mecanizada para controlar planta daninha em cana, não vamos conseguir. Só se controla com herbicida.”
O próximo seminário do Grupo IDEA é o 12º. Insectshow (seminário nacional de controle de pragas da cana-de-açúcar), que acontece nos dias 13 e 14 de julho, no Centro de Convenções de Ribeirão Preto.


Fonte: CanaOnline

Parcerias

Pernambuco Equipamentos de Proteção Individual Ltda