ATR

Confira o ATR

Saiba Mais..

Açúcar

Saiba sobre a cotação semanal do Açúcar.

Saiba Mais..

Etanol

Cotação semanal do Álcool Anidro Combustível e Hidratado.

Saiba Mais..

RenovaBio tem recorde de emissão de CBIOs em novembro


De acordo com ANP, 2023 já é o ano com o maior número de créditos de descarbonização emitidos, no total de 32,3 milhões


A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou na sexta (8/12) que o RenovaBio estabeleceu um novo recorde de emissão de créditos de descarbonização (CBIOs) em novembro de 2023, com 4,3 milhões de títulos que comprovam a eficiência energética e ambiental na produção de biocombustíveis.


Até então, o maior número de CBIOs emitidos em um mês tinha sido 3,3 milhões, em outubro de 2020.


Cada crédito equivale a uma tonelada de carbono que deixou de ser lançada na atmosfera por meio dos combustíveis renováveis.


De acordo com a ANP, a quantidade de títulos emitidos no mês passado foi 53% maior que no mesmo período de 2022. Faltando um mês para o encerramento do ano, 2023 já é o ano com o maior número de CBIOs emitidos (32,3 milhões). Em todo o ano passado, foram 31,4 milhões.


“Considerando os CBIOs já aposentados (retirados definitivamente de circulação) para o cumprimento da meta referente ao ano de 2023 (9 milhões) e o total de CBIOs disponíveis no mercado (32 milhões), faltando quatro meses para o encerramento do prazo para o cumprimento das metas do ano de 2023 (que ocorrerá, excepcionalmente, em 31 de março de 2024), a quantidade de CBIOs já é suficiente para o cumprimento de todas as metas individuais dos distribuidores de combustíveis fósseis”, diz a agência em nota.


38,78 milhões de CBIOs em 2024

Em 2024, as distribuidoras precisarão adquirir 38,78 milhões de CBIOs para abater suas emissões. Os créditos são a parte material da Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), criada por lei em 2017 e regulamentada em 2019.


O RenovaBio define metas de descarbonização para distribuidores de combustíveis líquidos derivados de petróleo, e busca incentivar a produção de biocombustíveis, como etanol e biodiesel.


Para cumprir suas metas, distribuidoras de combustíveis precisam adquirir CBIOs que, por sua vez, são gerados pelos produtores de biocombustíveis certificados no programa.



Epbr


Parcerias

Pernambuco Equipamentos de Proteção Individual Ltda